Paris ganha 1º supermercado totalmente sem embalagens (e que só vende orgânicos)

Paris ganha 1º supermercado totalmente sem embalagens (e que só vende orgânicos)
23 nov 2015

Depois de Berlim, na Alemanha, foi a vez da capital francesa ganhar seu primeiro supermercado totalmente sem embalagens. A loja vende cerca de 250 tipos de produtos – entre eles pães, frutas, legumes, massas, arroz, iogurte, manteiga e queijo. Tudo orgânico e, em sua maioria, fabricado por produtores locais.

Batizado de Biocoop 21, uma homenagem à COP 21 (21ª Conferência de Clima da ONU que acontece neste ano), o supermercado não possui sequer uma bandejinha de isopor ou insulfilm plástico para embalar os produtos. Tudo lá é vendido a granel.

Para fazer compras, é preciso trazer de casa suas próprias embalagens – o que também barateia os produtos. Para os mais esquecidos (ou, então, para aqueles que não planejavam parar no mercado), o Biocoop 21 oferece frascos de vidro e sacolas reutilizáveis feitas de algodão orgânico, entre outras embalagens para carregar as compras.

Aberta desde o início de novembro, a loja já tem data certa para fechar: 30 de dezembro. É que, por enquanto, o Biocoop 21 é uma experiência. Mas, se fizer sucesso, a marca de produtos orgânicos Biocoop promete reabrir a loja e até ampliá-la. Nós vamos torcer por isso e você?

Assista, abaixo, ao vídeo da iniciativa, em francês!

Já parou para pensar na quantidade de lixo que deixaríamos de produzir (e também no montante de dinheiro que economizaríamos) se toda vez que fossemos ao mercado, comprar um shampoo, detergente ou biscoito, levássemos nossas próprias embalagens?

Foto: Divulgação/Biocoop


Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Já poderiam fazer isso no Brasil.

  2. Jeane Prada Diz: novembro 24, 2015 at 5:40 pm

    Sensacional! A próxima vez que for à Paris, vou passar um dia inteirinho no Biocoop21 🙂

  3. Apaixonada estou por esse supermercado!

  4. Engraçado como o mundo comprova a lei do eterno retorno… Aqui mesmo no Brasil, até a década de 70, as mercearias vendiam os produtos a granel e com vasilhames retornáveis. Depois, vieram as sacolas plásticas e todo o material descartável, mudando nossos hábitos de consumo. Em 2012, BH aprovou uma lei que proibia o uso de sacolas plásticas e houve um movimento social para redução dos descartáveis. Esse ano a lei foi suspensa e as pessoas que haviam se re-habituado a levar sacolas para compra, como faziam na década de 70, voltaram a usar as plásticas poluidoras como se nada tivessem aprendido… Ao menos ainda existem os mercados distritais e municipais, onde a granel é maioria.

  5. Sensacional!!Agora é hora de mudarmos nossas atitudes e abrirmos a visão para um mundo mais verde, afinal precisamos da natureza!

  6. Infelizmente só aprendemos depois que o planeta terra está esgotado de seus recursos naturais explorados pela ganância dos homens. Felizmente eu sempre adotei hábitos saudáveis, sempre fiz compras com sacolas renováveis, e não consumo quase nenhum produto que tenha embalagem, procuro sempre refil.Tenho consciência que não contribuo em plastificantes o planeta.

  7. Luiz Paulo Toniazzo Diz: novembro 26, 2015 at 10:38 am

    Eu acho esta idéia sensacional. Eu tive esta idéia quando era mais jovem, lá pelos 15 anos. Sonhava em ter supermercado em que você comprava qualquer tipo produto, de alimentos a limpeza, a granel. Se isso tivesse sido feito, teríamos muito menos lixo produzido e menos poluição no meio ambiente. Mas isto envolve interesses dos fabricantes de embalagens para outras empresas que, com certeza, não estão interessados em fechar suas fábricas. É uma excelente iniciativa que pode vir para o Brasil voltado para as classes A e B.

  8. Mara L Fuzatto Diz: novembro 28, 2015 at 6:55 pm

    Brasil já foi assim no tempo da minha mãe. As mudanças foi só pra pior.

  9. cleide quintas Diz: novembro 28, 2015 at 10:52 pm

    Aqui em Londres, onde estou passando 2 meses com minha filha que mora aqui, os mercados cobram 5 centavos de Libra pelas bags. O pessoal leva sacolas de casa. Minha filha sempre tem umas retornáveis na bolsa, caso o mercado esteja no caminho de casa. Prático e econômico. E melhor ainda: um outro mercado que ela faz suas compras semanais pela internet traz as compras em sacolas plásticas retornáveis. A gente guarda todas elas e na compra seguinte devolvemos ao entregador. Na próxima compra a empresa virtual credita na sua nota fiscal o valor das sacolas devolvidas. E assim por diante.É muito demais!!

  10. Andre AS Diz: maio 9, 2016 at 7:55 am

    Existem montes de supermercados onde se pode comprar produtos a granel….chamam-se mercados e por cá cada vez há menos. A lógica do consumo e do tudo no mesmo sítio nos leva a grandes superfícies comerciais onde só há respeito pelo capital

  11. O conceito até seria interessante não fosse o risco de contaminacão. Nao sou contra embalagens, que têem funcao de proteger e preservar os produtos. Sou cobtra o desperdicio e o uso de materiais nao sustentaveis, nao biodegradáveis..quando estive na França era comum o atendente na padaria pegar o pao com a mesma mao que pegava o dinheuro, colocava o pao no balcão onde todos debruçavam e a gente tinha que sair com o pão na mão e nem tinha um saquinho para embrulhar onpao e nao contamina-lo…ARG!!!

  12. Vegano Desnutrido Diz: maio 12, 2016 at 6:24 pm

    Acho que existe motivo pra loja fechar em 60 dias: pragas! Além da sensação de imediatismo e novidade. Passou 60 dias taca inseticida na loja! Sacolas plásticas são reutilizáveis e plástico é reciclável.

Deixe uma resposta